Domingo da Misericórdia no Santuário

“Toquemos nas chagas de Jesus e sejamos missionários da Misericórdia com nossas atitudes e agir, a partir de nossa casa e no mundo.” F oi com essas palavras que  Dom Jose Luiz (bispo de Pesqueira) se dirigiu a milhares de romeiros que acompanhavam atentos sua homilia durante a Missa Solene da Festa da Misericórdia, no domingo dia 08 de abril.

De fato, a 14º Festa da Misericórdia realizada na terra da misericórdia, como é carinhosamente chamado o Santuário, atraiu um grande número de romeiros vindos de varias cidades, diferentes dioceses e muitas paróquias. Era possível encontrar naquela multidão, que segundo os organizadores aproximava-se de 25 mil pessoas, gente de Estados como Rio Grande do Norte, Alagoas, Paraíba, Sergipe e Pernambuco. Sem falar de romeiros que vieram de outros Estados fora do nordeste. Todo aquele povo que esteve na festa, circulando pelos espaços do Santuário da Divina Misericórdia, ora fazendo a trilha ou visitando o memorial da obra, procurando confissões e aconselhamentos, na Adoração ao Santíssimo Sacramento ou debaixo das tendas armadas provisoriamente por ocasião da festa. Estavam ali trazendo no coração o mesmo sentimento, movidos pelo mesmo desejo: viver uma experiência com a Misericórdia. Pois somente uma verdadeira experiência de amor nos aproxima desse Deus que é Misericórdia.

E durante os dias de festa, nós pudemos tocar nas chagas de Jesus como fez Tomé ao tocar o ressuscitado, como ouvimos na narrativa do Evangelho do Domingo da Misericórdia. Também nós fomos tocados por esse Jesus e por isso nas palavras do bispo éramos chamados a nos tornar missionários da misericórdia, porque quem vive uma experiência com a misericórdia, não pode guardar para si, mas sim com suas atitudes fazer com o que o mundo conheça essa misericórdia. Isso era um fato comprovado no rosto daqueles romeiros, como o de Dona Maria Iracy da Silva, de Serra talhada-PE que estava participando pela primeira fez da festa e dizia que estava encantada e desejosa de voltar no próximo ano. Ela que estava ali para rezar pela sua família.

A cada ano a festa cresce mais e mais, e vai se consolidando, tornando a terra da misericórdia um lugar de romarias e peregrinações o ano todo. Pois quem veem, sempre quer voltar. A festa desse ano contou com mais de 300 voluntários e teve o apoio da Prefeitura de Arcoverde, Governo do Estado, EMPETUR, SESC-PE e teve, a sua frente à coordenação geral do Pe. Adilson Simões, junto aos filhos da misericórdia e CEDEC. Nas palavras do padre, a festa tem tomado proporções tão grandes, tantas pessoas tem acorrido ao santuário, que logo deixara de se chamar terra para ser Cidade da Misericórdia.

Categoria:Variedades

Deixe seu Comentário